quinta-feira, 5 de março de 2015

Regresso

Queria voltar ao passado
E esquecer porque brigamos.
Queria ter te ligado
E dizer o quanto te amo.
Queria estar aí, te sentir,
Ter nos reconciliado.

Queria que soubesse
Que adoro te ter ao meu lado;
Queria que tivesse
Me abraçado e nunca mais soltado.
Queria que estivesse aqui,
Que pudesse te sentir...
Mas está tudo acabado.

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Os Iluminados

Olho para trás, revivo o sentimento.
Tudo era claro e muito profundo...
Observando as árvores, sentados num banco,
Abraçados no frio de setembro.

Uma câmera registrou aquele momento.
Então descobrimos que o mundo
Transformara-se em preto e branco...
Sim, eu me lembro.

Adicionamos à floresta um mar,
Mergulhamos numa vertigem de cores;
Mas só podíamos sentir as dores
E desesperadamente começamos a gritar.

Estávamos fora de perigo?
Alguém nos salvaria?
Será que era algum castigo
Por termos sido felizes por um dia?

Lembra quando não podia aguentar?
Me afastei, pois queria te libertar;
Suas lágrimas enxuguei e me pus a chorar
E o sol brilhou depois que te deixei...

Lembra quando acelerou demais?
Até pensei que não fosse capaz;
Os monstros enfim nos deixaram em paz,
O sol raiou, e te reencontrei.

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Gênesis

Quando tudo acaba,
o vento sopra as migalhas
daquilo que um dia restou.

A dor resume-se a nada,
esquecem-se as falhas.
O mundo não a amou.

Lágrimas foram derramadas
das vezes que se apaixonou;
as surras que da vida levou
a deixaram só.

Aquela que nunca foi amada
e que o destino rechaçou,
veio do pó.

E ao pó voltou.

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Fugindo daqueles que me negam abrigo,
tento ser forte, mas não consigo.
Neguei os prazeres que outrora tive,
abusei da sorte e me vejo em declive.

Não sei mais quem sou,
onde vou, aonde devo ficar;
e nada restou de toda coisa que era minha.

Resta apenas a dor
até tal vida inútil acabar.
Em mim nunca serviu o amor;
de infelicidade morri sozinha.

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Doente

Me sinto doente,
fraca, demente,
desconexa, incompetente,
infeliz, inexperiente.

Me sinto doente,
não pelo entorpecente,
mas pela dor irreverente
da palavra malevolente
dita de forma inconsciente
que me deixa impotente
e me faz perder a mente.

Me sinto doente,
não pela febre iminente,
não pelo orgulho eminente,
mas pelo desprezo permanente.

Me sinto doente,
perdida, impaciente,
insana, semiconsciente,
pálida... inexistente.